A linguagem como ferramenta de manipulação social

By Martina D. - março 15, 2019

As técnicas de persuasão da linguagem nos permitem explorar demasiadamente a emotividade, a fraqueza e a ingenuidade das pessoas. As grandes empresas de comunicação dominam técnicas que podem distorcer fatos e induzir a população a acreditar em mentiras. Desviar o foco dos problemas comuns do nosso dia-a-dia (como o trânsito, a inflação ou a violência) para programas, livros, filmes e músicas banais também é uma das estratégias para manter a população ignorante, afinal, a política do pão e circo não existia somente em Roma.

Estas técnicas persuasivas de linguagem e de manipulação de imagens e falas podem ser facilmente utilizadas para beneficiar poderosos governantes, instituições e partidos políticos (e sem que a população perceba). Entre 2000 e 2014, o Partido dos Trabalhos e o PSDB gastaram 23 bilhões de reais com compra de mídia em TVs, jornais, sites, revistas e portais.

Os dados foram obtidos a partir do pedido do jornalista Fernando Rodrigues para a Secretaria de Comunicação Social (Secom). O levantamento foi feito pelo Instituto para Acompanhamento da Publicidade (IAP). Em 12 anos de governo do PT, a Rede Globo acumulou R$ 6,2 bilhões em verbas publicitárias enviadas apenas pelo Planalto. Muito distante da emissora carioca, está a Record, com R$ 2 bilhões, seguida de perto pelo SBT (R$ 1,6 bi) e Band (R$1 bi). Os dados abrangem somente as verbas publicitárias gastas com emissoras de TV.

E você já se perguntou por que um determinado assunto transforma-se em manchete e outro notinha de pé de página? Ou por que fatos idênticos envolvendo personagens distintos pode, em um caso, gerar a indignação feroz de colunistas e comentaristas e, em outro, o mais retumbante silêncio?

O sociólogo e professor Perseu Abramo (1929-1996)  iniciou sua vida profissional em 1946, tendo atuado em veículos da grande mídia, como O Estado de São Paulo e a Folha de São Paulo, e também alternativos, como o jornal Movimento. Os padrões de manipulação da imprensa foram sistematizados por Perseu há mais de 20 anos. Perseu Abramo afirmava que  a realidade é apresentada ao leitor não como uma realidade, com suas estruturas, interconexões, causas, condições e consequências. O todo real é estilhaçado, despedaçado e fragmentado em milhões de minúsculos fatos particularizados, na maior parte dos casos desconectados entre si, despojados de seu vínculo com o geral, desligados de seus antecedentes e de seus consequentes no processo em que ocorrem, ou reconectados e revinculados de forma arbitrária e que não corresponde aos vínculos reais, mas a outros ficcionais e artificialmente inventados.

Adaptado de: 
https://exame.abril.com.br/marketing/governo-comprou-r-23-bilhoes-em-midia-desde-2000/
https://jornalggn.com.br/midia/os-padroes-de-manipulacao-da-midia/

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários