7 desafios que todos os professores autônomos sofrem

By Martina D. - maio 10, 2018

Além do nosso trabalho e profissão não serem muito valorizados no Brasil, podemos destacar alguns aspectos que nos prejudicam e também prejudicam o nosso trabalho como autônomos.
Professores autônomos geralmente atendem em domicílio, crianças, jovens e adultos que muitas vezes possuem condições financeiras privilegiadas, afinal, a média do custo de cada aula particular varia entre $50,00 e $100,00 no país. Trabalhamos com pessoas que supostamente, possuem educação, honestidade e bastante informação. Mas será que é sempre assim?
Neste texto eu vou listar 7 desafios que encaramos diariamente, ao atender diferentes faixas etárias e casos específicos de alunos (alunos do ensino fundamental, alunos que vão prestar concurso, alunos que querem aprender a conversar em inglês...). Vamos lá:

1. Trabalhar com materiais diferenciados de escolas internacionais, que muitas vezes não são desenvolvidos para a criança, seu universo, suas necessidades e realidade. São materiais que desrespeitam diversos conceitos de professores-pesquisadores renomados na área da educação;

2. Trabalhar com pagamentos atrasados e ainda receber calote;

3. Observar e estar envolvido com a realidade da educação básica e das condições financeiras da maioria das famílias brasileiras e não poder ajudar, pois muitas vezes a educação pública falha, os professores das escolas ficam sobrecarregados, e os pais, na maioria das vezes, não possuem condições de arcar com um professor particular;

4. Ser apagado por marcas "x" ou "y". As pessoas dão mais importância para a escola "x" ou "y" do que para o profissional que desempenha a função mais importante na instituição: ensinar. O professor que não tem nenhum tipo de ligação com instituições "x" ou "y" reconhecidas, muitas vezes não recebe prestígio, nem é valorizado;

5. Ser apagado por materiais didáticos e metodologias engessadas. O que realmente importa é o processo de ensino e aprendizagem, a relação entre o aluno e o professor e a forma como o professor compartilha o seu conhecimento. No entanto, como a educação é tratada como um produto no nosso país, metodologias e materiais são vendidos por valores absurdos, juntamente com taxas de matrícula e mensalidades altas. Enquanto isso, a importância do papel do professor é deixada de lado. O professor autônomo sofre este olhar de indiferença sobre si;

6. Ter que desenvolver e preparar uma aula, gastar tempo e dinheiro com locomoção e quando chegar na casa do aluno não ser recebido, pois não há ninguém. Não tenho vergonha de admitir que isso já ocorreu algumas vezes durante a minha carreira. Teria vergonha de publicar isto se fosse eu que tivesse agendado algum serviço (seja de aula particular, manicure ou qualquer outro tipo de serviço) e não estivesse em casa para receber o profissional. Infelizmente, os pais querem educar bem os filhos, pagam mensalidades caríssimas e cursos extracurriculares, mas não são capazes - eles mesmos - de darem o exemplo;

7. Ser visto como um profissional que desempenha algum tipo de "milagre" para exames. Quem ensina é o professor, mas quem aprende é o aluno. Não há aprendizagem sem a total participação do aluno.

  • Share:

You Might Also Like

0 comentários